Os perigos da depressão durante o tratamento de câncer

depressão em pacientes com câncer

Estudo do Observatório de Oncologia mostra que a chance de pacientes brasileiros com câncer desenvolverem depressão varia entre 22 a 29%, enquanto que nas mulheres em geral este índice é de 7%.

No caso da neoplasia de mama, dados da plataforma online apontam ser o tipo de tumor com maior ocorrência de comorbidades psiquiátricas (o dobro da população indistinta).

Na avaliação da psiquiatra Vilma Cidade, esta constatação deve-se ao fato de as perdas decorrentes da mastectomia gerarem um sofrimento muito significativo.

Causas da Depressão

As causas são muitas:

  • a nova percepção corporal,
  • o medo de não ser atraente sexualmente,
  • a impressão de diminuição da feminilidade,
  • as alterações na rotina de trabalho,
  • diminuição de salário,
  • limitações físicas por dor ou aumento de cuidados.

O câncer de mama pode acarretar um alto grau de comprometimento da autoimagem, podendo fazer as mulheres se sentirem desvalorizadas, envergonhadas, culpadas e repulsivas e, com isso, ocasionar no isolamento social e na evitação sexual”, destaca a médica.

Os perigos da depressão durante o tratamento de câncer

“O câncer de mama pode acarretar um alto grau de comprometimento da autoimagem”

Vilma Cidade , psiquiatra

A especialista alerta também que a depressão não tratada pode interferir negativamente no tratamento do câncer, “seja prejudicando o funcionamento do sistema autoimune, que deve destruir as células malignas, seja fazendo com que o paciente não compareça às consultas ou sessões de quimioterapia, retardando melhora e comprometendo o prognóstico”.

Diagnóstico da depressão

Para diagnosticar depressão em um paciente com câncer, alguns critérios devem ser observados, afirma a psiquiatra.

Sintomas como alterações de sono, aumento ou diminuição de apetite e cansaço podem ser devidos ao tratamento, por isso, não são bons indícios para diagnóstico da depressão.

Nesse caso, é preciso ficar atento a sinais como tristeza constante, desesperança, culpa, autocrítica e arrependimento excessivos, além do isolamento social.

Tratamento antidepressivo

A depressão associa-se a um pior prognóstico e aumento da mortalidade pelo câncer. Além disso, muitos fármacos essenciais para combater certos tipos de câncer também causam depressão.

depressão em pacientes que recebem o interferon-alfa

Por exemplo, síndromes depressivas podem ser uma consequência da terapia antineoplásica em 24 a 58% dos pacientes que recebem o interferon-alfa. Em muitos casos, seria importante, ao iniciar o tratamento de combate ao câncer, já se inicie o tratamento antidepressivo”, afirma Vilma, ao acrescentar que “é sabido que o tratamento antidepressivo melhora a adesão ao tratamento antineoplásico por reduzir ou conter efeitos adversos como náuseas, dor e fadiga”.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Agora você está offline

%d blogueiros gostam disto: