O Médico

Departamento garante suporte e inclusão dos acadêmicos de Medicina

O Núcleo Acadêmico é o braço estudantil do Simers e congrega mais de 600 associados de todas as faculdades de Medicina do Rio Grande do Sul. Criado em 2008 para fortalecer a ligação entre o Sindicato, as instituições de ensino e os futuros profissionais, o Núcleo Acadêmico Simers organiza anualmente o Trote Solidário e promove cursos sobre temas escolhidos pelos próprios alunos. A presidente do NAS, Scarlet Orihuela, fala sobre os desafios do Núcleo dentro do período da pandemia do Covid-19.

Departamento garante suporte e inclusão dos acadêmicos de Medicina 2

“O Núcleo Acadêmico do Simers é o elo entre os futuros profissionais médicos e o seu sindicato.”

— Presidente do NAS, Scarlet Orihuela

Quais são as ações básicas do NAS?
Atuamos basicamente em quatro pilares: formação de novas lideranças acadêmicas, conhecimento, responsabilidade social e a valorização do associado.

Como é a ligação entre os futuros profissionais e o Simers?
Internamente nos dividimos em quatro núcleos de trabalho. O de responsabilidade social, que gerencia os projetos de voluntariado e as postagens relacionadas à área. O científico, que organiza os trabalhos que serão enviados para congressos médicos e eventos. O de extensão, que faz o contato com os representantes do interior e com as ligas acadêmicas. O do interior faz o contato mais próximo com os representantes das faculdades de medicina localizadas em municípios de fora da Região Metropolitana.

Que tipo de atuação o NAS desenvolve?
Para o público em geral, podemos citar os nossos eventos, como a semana acadêmica. A edição deste ano ocorrerá em junho e será no formato on-line devido à pandemia. Estamos conseguindo manter as lives mensais com assuntos de interesse da área acadêmica médica. Além disso, produzimos trabalhos para congressos, inclusive internacionais, que foram premiados.

Departamento garante suporte e inclusão dos acadêmicos de Medicina 3

Como foi desenvolver o Trote Solidário em plena pandemia? O que mudou?
Foi um desafio fazer a ação acontecer sem presença física nas 14 cidades, envolvendo as 20 Faculdades do Estado. Por outro lado, foi recompensador. Conseguimos um engajamento expressivo no formato digital, mobilizando Universidades, arrecadando alimentos e estimulando as doações de sangue. Até o início de maio chegamos a mais de sete mil quilos de alimentos arrecadados e mais de 400 doações de sangue. Esta edição vai até o dia 31 de maio. A arrecadação ocorre por meio de links personalizados para cada Universidade, que direcionam o doador ao banco de alimentos. É importante destacar que toda a angariação será destinada a instituições carentes dos municípios aos quais as Universidades pertencem. O momento que vivemos é crítico, por isso, pede um esforço maior da sociedade e o trote mudou para seguir estimulando essa colaboração. Toda doação faz diferença.

Deixe o seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Agora você está offline

%d blogueiros gostam disto: